Palavra Pastoral 

Páscoa, ato de libertação

Exêdo 12:1-17

Introdução: Para o cristão a páscoa tem um sentido totalmente contrario ao que pensa o mundo secular, e através desta palavra queremos enfatizar de modo claro e objetivo o real sentido da páscoa para as nossas vidas e que ela esta ligada a nossa libertação espiritual e física. No hebraico a palavra páscoa é pessach, que tem o significado de passagem, passar por cima ou livramento do anjo destruidor.

Deus institui a páscoa por nossa causa, pois quem precisa de salvação é o homem e com o clamor do povo hebreu, Deus estabeleceu um plano de resgate destes, mas já prefigurando a nossa salvação. A palavra salvação tem a conotação de libertação e libertação de tudo o que nos afasta de Deus (Tt. 2:11-13).

Neste texto base nós podemos identificar alguns princípios estabelecidos por Deus no tocante á páscoa, a bíblia revela em Hb. 10:1, que o que foi estabelecido no velho testamento era à sombra das coisas vindouras, e a libertação do povo hebreu também aponta a nossa libertação.

Diferentemente do que pensa o mundo, o cristão tem que saber que a páscoa é muito mais do que uma festa judaica, ela representa a nossa libertação que foi conquistada por Cristo lá na cruz, Ele foi o cordeiro sem defeito imolado e seu sangue colocado como sinal em nossas vidas para que o destruidor não nos toque (I Jo. 5:18).

Efeitos: Livramento do anjo destruidor, pelo juízo de Deus aos egípcios e se os hebreus não obedecessem seriam afetados pelo anjo destruidor.

O que isto reflete em nós?

1.    Um ato de redenção de Deus (Ap. 5:9-10), pois o homem estava escravo(II Pe 2:19), Ele nos resgatou (Cl 2:14-15), e nos comprou (I Pe 2:9; I Pe 1:18-19).

2.    Ato profético – Em todas as outras pragas o povo hebreu foi poupado, mas nesta não; Houve uma encenação de um simbolismo espiritual (Ex. 12:13) o sangue do animal não tinha poder mas era um sinal.

3.    Deus quis  revelar a importância do:  sacrifício expiatório, a fé e a obediência, que precedem a libertação.

4.    A páscoa era exatamente uma antecipação figurativa da obra de Jesus no calvário.

5.    Libertação espiritual precede a libertação física.

 

Conclusão: Existe uma relevância de grande valia a observância da páscoa, não no sentido figurativo, mas literal para os nossos dias, e podemos identificar que a Ceia celebrada entre Jesus e seus discípulos, foi uma ceia de páscoa onde o próprio Jesus disse que deveríamos o fazer em memória Dele (Lc. 22:15), a ceia e a nossa celebração pascoal, pois relembramos a aliança pelo sangue de Jesus, que nos livra da morte e do pecado.

Jose Carlos, pastor